Juvenis Ana Luiza Lima e Julia Soares são atrações do CEGIN e do Brasil no Sul-Americano de Lima

As ginastas de 13 anos disputam a competição no Peru com boas chances de ir ao pódio - a qualificação será no sábado (20/10) e a final no domingo (21/10)
Curitiba - As ginastas Ana Luiza Lima e Julia Soares, do CEGIN, de 13 anos, se apresentam no Sul-Americano Juvenil e Infantil de Ginástica Artística, em Lima, no Peru, na qualificação dos quatro aparelhos, neste sábado (20/10) - a decisão da categoria será neste domingo (21/10). Ana Luiza e Julia ainda são juvenis, mas estão chegando aos poucos ao pódio das principais competições da ginástica artística do País. Neste ano competiram bem os campeonatos brasileiros, dividindo as medalhas com ginastas consagradas, inclusive no adulto.
Na categoria de 13 a 15 anos, disputada no Campeonato Brasileiro Adulto de 2018, em São Bernardo do Campo e Santos, Julia levou ouro no individual geral. Ajudou a equipe principal do CEGIN a ganhar a prata por equipe e levou o bronze, entre ginastas adultas, na trave. Ana Luiza ficou com o bronze no solo no último Brasileiro de Especialistas, em Santos, em agosto. 
O CEGIN, que tem sede em Curitiba, no Paraná - no local onde treinou a seleção brasileira, entre 2000 e 2008 - é um projeto incentivado, coordenado pela técnica-chefe Iryna Ilyashenko, ucraniana naturalizada brasileira (há 20 anos no País), os técnicos Roger Medina e Carol Molinari e o coreógrafo Rhony Ferreira.
Conheça mais as jovens ginastas da categoria juvenil do CEGIN: 
Perfil: Ana Luiza Lima
Nasceu em Telêmaco Borba, em 8/8/2005. Vive em Curitiba (PR).
Ana Luiza foi descoberta na Escola Municipal Leopoldo Mercer, quando técnicos do CEGIN foram à cidade de Telêmaco Borba fazer um teste. Foi a única aprovada, aos 7 anos. Mudou-se, então, para Curitiba, para dedicar-se à ginástica. Considerada uma promessa para a ginástica brasileira, já participou de campings de treinamento com a seleção brasileira que tem incluído ginastas juvenis.
Ana Luiza Lima chamou a atenção do público no último Brasileiro de Especialistas, em Santos (SP), em agosto, com uma série no solo inspirada no clássico Luzes da Ribalta, filme de Charles Chaplin. Levou a medalha de bronze e dividiu o pódio com Flávia Saraiva, prata, e Thais Fidélis, campeã e companheira do CEGIN. "Minha série é boa para a minha categoria, mas para um nível mais avançado, ainda preciso melhorar", disse Ana Luiza, que adorou o apoio da torcida. "Quero fazer minha coreografia ainda mais limpa para agradar o público e os juízes."
Ana Luiza disputou a competição após se recuperar de uma cirurgia no cotovelo esquerdo em maio deste ano. 
Perfil: Julia Soares
Nasceu em Curitiba (PR), em 23/8/2005. Vive com a família em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba (PR).
Imitava a irmã mais velha Giovanna desde os primeiros anos de vida. Aos 4 anos entrou na escolinha do CEGIN, passou pelas categorias Pré-Infantil e Infantil, e atualmente compete como juvenil. Esteve em Jessolo, Itália, e nos campings da seleção brasileira no primeiro semestre de 2018. "Ganhei experiência e percebi que tenho de evoluir pelo sonho de ir a uma Olimpíada." 
Júlia cursa o sétimo ano da Escola Estadual República Oriental do Uruguai, é fã de Daniele Hypólito - "ela é alegre e esforçada" -, e diz que o CEGIN tem um trabalho respeitado na ginástica feminina e quer aproveitar essa vivência e aprendizado. Sua rotina é treino-escola-treino e brincar com o cachorro Toddy, um shitsu. Gosta de passear ao ar livre com a família. "Sempre vamos ao parque."
Julia disse que competir com atletas mais velhas que ela - na trave, por exemplo, foi ao pódio com Flávia Saraiva e Jade Barbosa, no Brasileiro de Especialistas -, aumenta a exigência em sua performance. "Temos de fazer melhor. Elas trazem exemplos pra gente se esforçar e evoluir nos elementos, nas séries."
O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná tem o apoio dos incentivadores Portonave, Fertipar, Elejor, Caminhos do Paraná e Blount, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, e da SMELJ, Prefeitura de Curitiba.
Siga o CEGIN em www.facebook.com/ceginpr e em www.instagram.com/ceginpr.



CEGIN terá Flávia Paesano e Josy Calixto, da categoria infantil, no Sul-Americano de Lima

Ginastas de 11 anos vão se apresentar na qualificação dos quatro aparelhos, na competição do Peru, nesta sexta-feira (19/10); sábado (20/10) tem a disputa da categoria juvenil
Flávia Paesano e Josiany Calixto da Silva são as ginastas do CEGIN - Centro de Excelência de Ginástica do Paraná -, em Curitiba, na disputa da categoria infantil do Sul-Americano em Lima, Peru. As duas competem a qualificação nesta sexta-feira (19/10/2018) - a final da categoria será no sábado (20/10). São meninas bem novas, de 11 anos, mas com chances de pódio para o Brasil na faixa etária.
"Elas são boas em todos os aparelhos", afirma Caroline Molinari, ex-ginasta e técnica das pequenas no CEGIN, que tem como espelho a ginasta Thais Fidélis, quarta colocada no solo no Mundial de Montreal, em 2017, e que está na seleção que disputa o Mundial de Doha, no Catar, a partir de 25 de outubro. O CEGIN ainda tem mais duas atletas na seleção brasileira. Julia Soares e Ana Luiza Lima competem na categoria juvenil (as disputas serão sábado e domingo,20 e 21/10). 
Para as ginastas do infantil as séries são padrão - todas as atletas devem cumprir movimentos obrigatórios nos quatro aparelhos (barras paralelas assimétricas, salto, trave e solo). “Tem de fazer tudo perfeito, limpo. No solo, conta muito a sincronia dos movimentos com a música”, observa Carol Molinari. "O que vai diferenciar uma ginasta da outra será a execução".
No último Campeonato Brasileiro Infantil, realizado em junho, em São Bernardo do Campo (SP), Josy ficou com a medalha de bronze no Individual geral e Flávia Paesano foi 7ª colocada.
Conheça mais as jovens ginastas da categoria infantil do CEGIN:
Perfil - Flavia Assumpção Paesano
Local e data de nascimento: Curitiba (PR), em 18/5/2007
Flavia começou na ginástica rítmica, com 4 anos, no Clube Paraná. Ficou três anos na modalidade, mas não estava "gostando muito" quando os pais Piero e Ivelise perguntaram o que queria fazer e escolheu a ginástica artística. Passou apenas no segundo teste que fez no CEGIN para a escolinha, mas foi vista pela técnica Carol Molinari e passou a treinar nas categorias de base. No Brasileiro Infantil de 2017 ganhou ouro no solo, ouro por equipe, bronze na trave e nas paralelas. 
"Eu não tinha muita expectativa, mas foi muito boa a sensação e agora eu vou tentar chegar até o meu sonho olímpico em 2024", diz Flavia, que é fã da xará de Flávia Saraiva, finalista olímpica adulta (5ª na trave nos Jogos do Rio/2016) e medalhista olímpica da juventude. "Treinei junto com a Flávia antes da Olimpíada e ela pediu uma foto comigo. Puxa, não era eu que tinha de pedir?", conta Flávia, que cursa a 6ª série no Colégio Madalena Sofia. 
Perfil - Josiany Calixto da Silva
Local e data de nascimento: Santo Antônio da Platina (PR), 1/8/2007
Josy fazia taekwondo numa escola em Jacarezinho (PR) quando foi indicada para a ginástica por sua flexibilidade. Praticava ginástica há apenas quatro meses quando participou de um festival regional no CEGIN. "A Iryna (Ilyashenko, técnica chefe do CEGIN) disse que eu tinha 15 dias para vir para cá fazer um teste", conta.
A mãe Terezinha concordou, Josy fez o teste, passou, e começou a integrar o grupo da técnica Carol Molinari, que cuida do desenvolvimento das ginastas das categorias pré-infantil e infantil. "Minha mãe fica comigo em Curitiba", comenta Josy, que cursa a sexta série do Colégio Estillo, é fã da norte-americana Simone Biles, e tem a trave como seu aparelho favorito.
O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná tem o apoio dos incentivadores Portonave, Fertipar, Elejor, Caminhos do Paraná e Blount, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, e da SMELJ, Prefeitura de Curitiba.
Siga o CEGIN em www.facebook.com/ceginpr e em www.instagram.com/ceginpr.




Ginastas juvenis e infantis do CEGIN enfrentam o desafio do Sul-Americano de Lima

A equipe do Paraná terá Ana Luiza de Lima, Júlia Soares, Flávia Paesano, Josiane Calixto da Silva e a técnica Carol Molinari na competição que será realizada entre 19 e 21 de outubro, no Peru
Curitiba – Ana Luiza de Lima e Júlia Soares, da categoria juvenil, Flávia Paesano e Josiane Calixto da Silva, da categoria infantil, são as ginastas do CEGIN que disputam o Sul-Americano de Lima, no Peru, pela seleção brasileira. A técnica Carol Molinari viaja nesta terça-feira (16/10) para a competição com as quatro ginastas e a equipe nacional. As disputas serão sexta-feira (19/10, qualificação infantil), sábado (20/10, qualificação juvenil e final infantil) e domingo (21/10, final juvenil).
“Este é um campeonato em que temos boas chances de pódio com todas as ginastas”, avalia a técnica Carol Molinari. Para Flávia e Josy, de 11 anos, as séries são obrigatórias, com rotinas iguais para todas as ginastas da mesma categoria participantes do torneio, nos quatro aparelhos (barras paralelas assimétricas, salto, trave e solo). “Tem de fazer tudo perfeito, limpo. No solo, conta muito a sincronia dos movimentos com a música”, observa Carol Molinari.
Mas para Júlia Soares, campeã brasileira no individual geral na categoria 13 a 15 anos, prata por equipe e bronze na trave no Brasileiro Adulto, as séries são específicas. Também será assim para Ana Luiza de Lima, juvenil como Júlia. No último Brasileiro de Especialistas, em agosto, em Santos, Ana Luiza levou bronze no solo, entre adultas.
“Apesar delas estarem no primeiro ano da categoria juvenil ambas têm chances de pódio. A Júlia é bem técnica, tem uma trave muito boa. A Ana Luiza chama atenção no solo pela apresentação e a qualidade na execução dos movimentos – com uma série limpa e que tem dança. Na verdade, as duas têm séries bem executadas nos quatro aparelhos, com um bonito estilo de ginástica”, comenta Carol Molinari.
Ana Luiza encantou o público no Brasileiro de Especialistas ao apresentar sua coreografia no solo com a música Luzes da Ribalta, do clássico filme de Charles Chaplin – a ginasta imita o genial artista de gestos marcantes. “Eu quis fazer as pessoas ficarem apaixonadas”, disse o coreógrafo Rhony Ferreira. “A série é leve, a Ana Luiza é delicada, doce e tem uma veia humorística, na parte que ela imita o Chaplin”, completa.
Para Júlia Soares, que é ‘espevitada’, o mambo Tequila se encaixa bem. Júlia, que tem uma trave de muita qualidade, também teve sua série de solo aprimorada para o Sul-Americano. “Quisemos enriquecer um pouco a coreografia do meio para o fim para evitar que a série começasse bem e caísse. Com os treinos ela melhorou na parte física e, com isso, complicamos um pouco a parte técnica. Ficou mais saltitante, mais feliz até o fim. Fizemos esse arranjo para melhorar a parte artística.”
O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná tem o apoio dos incentivadores Portonave, Fertipar, Elejor, Caminhos do Paraná e Blount, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, e da SMELJ, Prefeitura de Curitiba.
Siga o CEGIN em www.facebook.com/ceginpr e em www.instagram.com/ceginpr.



Thais Fidélis e Ana Luiza Lima, do CEGIN, brilham no Brasileiro de Especialistas

Santos - Thais Fidélis e Ana Luiza Lima, do CEGIN, brilharam no Campeonato Brasileiro de Especialistas de Ginástica Artística, disputado no fim de semana (18 e 19/8/2018), na Arena Santos, no litoral paulista. As atletas dominaram o pódio do solo - Thais foi campeã e Ana Luiza, de apenas 13 anos e ainda juvenil, conquistou o bronze em uma competição de adultos.
O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná ainda se manteve entre os melhores times femininos do país, ao conquistar o vice-campeonato do Brasileiro por Equipes. A final, que deveria ter sido realizada em 23 de julho e acabou adiada por problemas na iluminação do ginásio de São Bernardo do Campo, foi disputada no sábado (18/8), em Santos. O CEGIN garantiu a prata com a nota final de 153.650. O Flamengo venceu com 159.600 e a ADC São Bernardo foi bronze com 151.300.
Nas disputas individuais, Thais Fidélis foi o grande destaque. A ginasta de 17 anos, finalista no solo do Mundial de Montreal/2017, conquistou três medalhas. Além do ouro no solo, com 13.750, foi bronze no individual geral na 2ª Etapa do Brasileiro Adulto (51.950), disputado no sábado, em Santos, e também bronze no individual geral na somatória das duas etapas (a 1ª Etapa foi em São Bernardo).
"Eu tenho certeza que ainda posso melhorar depois de ter ficado um tempo sem competir, entrando em forma. No solo, hoje, na final, fui melhor do que ontem, na classificatória, mesmo tendo errado a primeira passada, porque coloquei o pé para fora. Gostei da nota, mas ainda dá para melhorar, colocar algum elemento novo na série e subir mais a nota. A execução foi boa."
Já Ana Luiza Lima, que completou 13 anos no dia 8 de agosto, encantou o público da Arena Santos com a série do solo inspirada no clássico Luzes da Ribalta, filme de Charles Chaplin. Ainda juvenil, foi bronze com a nota 13.150 - Flávia Saraiva, do Flamengo, foi prata (13.500). "Eu fiquei muito feliz de competir com a Thais, a Flávia, a Daniele Hypolito. Foi muito bom ir ao pódio com elas. Minha série é boa para a minha categoria, mas para um nível mais avançado, ainda preciso melhorar", disse Ana Luiza, que adorou o apoio da torcida em Santos. "Esse é o sonho de toda ginasta, deixar as pessoas felizes com que o que você está fazendo. Eu quero fazer minha coreografia ainda mais limpa para agradar o público e os juízes."
Ana Luiza disputou a competição após se recuperar de uma cirurgia no cotovelo esquerdo. "Operei em maio, fiquei um mês totalmente parada e faz três semanas que eu fui liberada".  Natural da cidade de Telêmaco Borba, foi descoberta na Escola Municipal Leopoldo Mercer - ela conta que técnicos do CEGIN foram à cidade fazer um teste e ela foi a única aprovada, com apenas 7 anos. Mudou-se, então, para Curitiba, para dedicar-se à ginástica. Considerada uma promessa para a ginástica brasileira, já participou de camping de treinamento com a seleção brasileira.
Irina Ilyashenko, treinadora chefe do CEGIN, aprovou a competição. "Foi bom. Tivemos alguns erros que ainda vamos trabalhar, mas gostei." O técnico Roger Medina também ficou satisfeito com os resultados conquistados em Santos. "A Thais e a Ana Luiza fizeram boas provas. A Thais teve um errinho na primeira diagonal que vamos corrigir. E a Ana Luiza, voltando de cirurgia, foi bem. Conseguimos colocá-la para competir após a cirurgia, e ela entrou na final e conquistou medalha em um campeonato de grande importância."
O CEGIN também foi ao pódio nas paralelas assimétricas, com Carolyne Pedro, que conquistou o bronze (12.600), e na trave, com Júlia Soares, também bronze (12.250). Júlia, também juvenil, destacou-se na disputa do individual geral de sua categoria (até 13 anos): foi campeã com a nota 50.550.
O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná tem o apoio dos incentivadores Portonave, Fertipar, Elejor, Caminhos do Paraná e Blount, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, e da SMELJ, Prefeitura de Curitiba.
Siga o CEGIN em www.facebook.com/ceginpr e em www.instagram.com/ceginpr.



CEGIN tem Thais Fidélis entre estrelas no Brasileiro de Especialistas

Santos - O Campeonato Brasileiro de Especialistas de Ginástica Artística será o desafio do Centro de Excelência de Ginástica do Paraná - CEGIN -, a partir desta sexta-feira e até domingo (dias 17, 18 e 19/8/2018), na Arena Santos, na cidade de Santos, litoral paulista. 
O CEGIN faz duas disputas em um único evento. O Brasileiro de Especialistas, por aparelhos, tem treino de pódio na sexta-feira (17/8) e qualificatória no sábado (18/8), dia também da disputa do título brasileiro por equipes. No domingo (19/8) saem as medalhas por aparelhos (a nota será uma média da apresentação dos dois dias). Estão inscritas pelo CEGIN Thais Fidélis dos Santos, Ana Luiza Lima, Anna Júlia Reis, Beatriz Lima, Carolyne Pedro, Júlia Soares e Fabiane Brito. 
"Temos a Thaís Fidelis, que vai fazer todos os aparelhos, com as séries de trave, solo e paralelas bem estabilizadas. A Ana Luiza está voltando de cirurgia, mas também tem trabalhado bem. A Anna Julia pode brigar na trave e no solo também, assim como Júlia Soares, que vem se apresentando bem, com resultados na trave e no solo", avaliou a treinadora chefe do CEGIN Irina Ilyashenko, ucraniana de Dnipro, que vive há 20 anos no Brasil, está naturalizada e na seleção brasileira. O CEGIN, que tem um trabalho tradicional de formação na ginástica artística feminina, em Curitiba, no Paraná, tem conseguido colocar a maioria das ginastas da seleção nas principais competições do Brasil este ano. 
Thais Fidelis é bem objetiva quando fala de suas metas. "No Brasileiro de Especialistas é tentar estar entre as três melhores nos aparelhos. E na decisão por equipes lutar pelo primeiro lugar. Ainda dá para brigar com o Flamengo", disse Thais, de 17 anos, 4ª colocada no solo no Mundial de Montreal/2017. Thais nasceu em Ribeirão Preto (SP) em 23 de julho de 2001 – começou a treinar na Cava do Bosque, aos 5 anos. Mudou-se para Barueri em 2011, onde passou a trabalhar com o técnico Roger Medina. Chegou em Curitiba e no CEGIN em 2015. Seu ídolo é Daiane dos Santos.
Na decisão por clubes (adiada do mês de julho por causa de falha na iluminação do ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo), o CEGIN ocupa a vice-liderança. Os quatro clubes classificados para a final são: 1 - Flamengo, 161.800; 2 - CEGIN, 159.050; 3 - ADC São Bernardo do Campo, 155.450; e 4 - Grêmio Náutico União, 133.450. Cada equipe terá as ginastas com as três melhores notas em cada aparelho. 
O time que disputou a primeira etapa e está qualificado para a decisão tem Thais Fidélis dos Santos, Carolyne Pedro, Luiza Trautwein Domingues, Anna Julia Reis, Beatriz Lima e Julia Soares. "Ainda temos a mesma expectativa de julho, de disputar o título por equipes com o Flamengo. Tudo é possível, vamos lutar", afirmou a técnica Irina Ilyashenko sobre a disputa por equipes. 
BRASILEIRO DE ESPECIALISTAS
Ginástica Feminina (GAF)
Quinta-feira (16/8) – Treinamento
9 horas – 11h30 – Treino escalonado (GAF)
15 horas – 18 horas – Treino livre (GAF)
Sexta-Feira (17/8) – Treinamento de pódio
9h30 – 12 horas – Treino de pódio (GAF)
16h30 – 18 horas – Treino livre (GAF)
Sábado (18/8) – Final por Equipes/ Classificatória/ Final Individual Geral 2ª etapa*
8h40 – 9h30 – Aquecimento nos aparelhos (GAF)
9h30 – 11h55 – Competição (GAF)
13 horas – Premiação por Equipes, Individual Geral 2ª Etapa e Individual Geral 2018 (GAF)
*Realização da final por equipes do Campeonato Brasileiro Adulto, adiada de 23/7
Domingo (19/8) – Finais por aparelhos
8h50 – 9h20 – Aquecimento (GAF)
9h20 – 10h20 – Aquecimento livre nos aparelhos (GAF)
10h25 – 12h05 – Final por Aparelhos (GAF)
12h45 – Premiação por aparelhos
O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná tem o apoio dos incentivadores Portonave, Fertipar, Elejor, Caminhos do Paraná e Blount, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, e da SMELJ,  Prefeitura de Curitiba.
Siga o CEGIN em https://www.facebook.com/ceginpr/ e no instagram.com/ceginpr.


O técnico Júlio Enrique Duenas e a ginasta Ana Karina Reyes, do Peru, estão concluindo camping de treinamento no CEGIN, em preparação ao Pan-Americano de Lima. Eles chegaram em Curitiba no dia 19 de julho e partem no dia 5 de agosto. O CEGIN sente-se honrado por ter sido o escolhido para o intercâmbio. #portonave#fertipar #elejor #caminhosdoparaná #blount #smelj #ntercambio#cegin #peru #panamericano
Profissionais do CEGIN no Time Brasil. Rhony Ferreira, Irina Ilyashenko e Roger Medina. Bom trabalho com as ginastas! #ceginpr #ginastica#ginasticaartistica #portonave #fertipar #elejor #caminhosdoparaná    #blount #smelj
Na foto: Rhony Ferreira, Thais Fidélis, Luiza Trautwein, Carolyne Pedro, Valeri Liukin, Irina Ilyashenko, Fabiane Brito e Anna Júlia Reis. Liukin nasceu no Casaquistão, competiu pela ex-União Soviética e tornou-se cidadão americano. É treinador nos EUA e veio ao Brasil para clínica com a ginástica feminina. CEGIN na seleção brasileira! #ceginpr #ginastica#ginasticaartistica #portonave #fertipar #elejor #caminhosdoparaná #blount #smelj
Trabalho em equipe no Brasileiro. Unidas na torcida, na preparação dos aparelhos, nas contas das notas somadas e na competição... #ceginpr #ginastica #ginasticaartistica #brasileiro #portonave #fertipar #elejor #caminhosdoparaná #blount #leideincentivoaoesporte #smelj
📷Osvaldo F./Contrapé
Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística Infantil. O CEGIN levou medalha de ouro na trave e bronze no Individual geral com Josiany da Silva. E foi 7º no individual geral com Flávia Paesano. Parabéns as ginastas e aos técnicos Irina Ilyashenko, Roger Medina e Carol Molinari pelo trabalho.
Individual Geral:
1 – Luisa Maia (São Bernardo) – 109.900
2 – Gabriela Reis (São Bernardo) – 107.075
3 – Josiany da Silva (CEGIN) – 104.475
📷Osvaldo F,/Contrapé
#ceginpr #ginastica #ginasticaartistica #brasileiro #portonave #fertipar #elejor #caminhosdoparaná #blount #leideincentivoaoesporte #smelj
CEGIN ajuda Brasil a levar a medalha de ouro por equipe nos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba, Bolívia.
O pódio: Ouro - Brasil (210.200), Prata - Argentina (202.733) e Bronze - Colômbia (199.766).
Parabéns Anna Júlia Reis, Luiza Trautwein, a técnica Irina Ilyashenko, Thais Fidelis e Carolyne Pedro, do CEGIN, que se somaram à Flavia Saraiva e Jade Barbosa nesta conquista! #ceginpr #ginastica #ginasticaartistica #jogossulamericanos #cocha2018 #portonave #fertipar #elejor #caminhosdoparaná #blount #leideincentivoaoesporte #ministeriodoesporte #smelj
Jogos Sul-Americanos de Cochabamba (BOL). Chegou a vez das meninas competirem:
Programação *Horário de Brasília
Segunda-feira (28) 15h30 - GAF - Classificatórias por aparelhos, competição all around e por equipe subdivisão 1 18h - GAF - Classificatórias por aparelhos, competição all around e por equipe subdivisão 2 20h30 - Premiação All around e por equipe
Terça-feira (29) Finais por aparelhos 16h - GAM - solo, cavalo com alças e argolas 16 - GAF - salto e barras assimétricas 19h - Premiação por aparelhos
Quarta-feira (30) Finais por aparelhos 16h - GAM - salto, paralelas e barra fixa 16h - GAF - trave e solo

Carolyne, Thais, Anna Julia, Luiza e Irina são o CEGIN
na seleção que disputa os Jogos Sul-Americanos

Curitiba - O CEGIN - Centro de Excelência de Ginástica do Paraná - tem cinco representantes na seleção brasileira de ginástica artística feminina que disputa os Jogos Sul-Americanos de Cochabamba, na Bolívia, a partir deste domingo e até quarta-feira (27 a 30/5/2018). As ginastas Carolyne Pedro (foto), Thais Fidélis dos Santos, Anna Julia Reis e Luiza Trautwein formam o grupo do Centro de Excelência de Ginástica do Paraná, com sede em Curitiba, que vai aos Jogos - Flávia Saraiva e Jade Barbosa completam a equipe do Brasil. A técnica chefe do CEGIN, Irina Ilyashenko, segue com a seleção brasileira para a competição.
Irina, ucraniana de Dnipro, que vive há 20 anos no Brasil, está naturalizada e na seleção. A técnica diz que espera ver Thais Fidélis dos Santos retornando à boa forma e competindo bem. Acrescenta que Carolyne Pedro, reserva do Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio/2016, está bem preparada e pronta. "Se as nossas ginastas competirem bem, e ainda com Jade e Flávia, vamos ter medalhas para o Brasil", ressalta. 
"O Brasil é candidato ao ouro por equipe e acho que posso fazer boas provas em Cochabamba no solo e nas paralelas", avalia Carolyne Pedro, que faz 18 anos em julho, é de Curitiba (PR) e o CEGIN é sua casa desde o início.
Filha da ex-ginasta Gleise Mercer, a ginástica artística era o único esporte que ela podia praticar aos 4 anos - "minha mãe me colocou para eu não ficar sozinha em casa". E Carolyne foi treinar com a tia, Deise Mercer, professora no CEGIN. Ingressou no grupo de treinamento aos 7 anos e passou por todas as categorias de base até chegar ao adulto. Em 2016, ficou com o bronze no solo na etapa de São Paulo da Copa do Mundo, ajudou o Brasil a conseguir vaga olímpica com a equipe completa no Evento Teste, e foi reserva da seleção brasileira nos Jogos Olímpicos do Rio.
Em 2017, foi bronze na trave no Pan-Americano de Ginástica de Lima (PER), ouro no salto e por equipes no Sul-Americano de Cochabamba (BOL). No Brasileiro de Especialistas ficou com três medalhas - de prata nas paralelas, e de bronze no salto e na trave. Este ano, estava na equipe que levou a prata no Trofeo Città di Jesolo, em Jesolo (ITA), e foi 6ª no solo na competição italiana.
Diz que seu objetivo é continuar na seleção e ir a todas as competições internacionais importantes, como etapas da Copa do Mundo e ao Mundial, e garantir sua permanência na equipe olímpica. "Eu quero pegar experiência para ir aos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020."
Thais Fidélis dos Santos está entrando em forma, depois de ter ficado parada por algum tempo, mas mesmo assim o seu objetivo para os Jogos Sul-Americanos "é tentar medalha”. Também aposta nas chances do Brasil para ser campeão por equipe. “Eu penso nos pódios no solo e na trave.”
Anna Julia Reis, 16 anos, faz ginástica desde os 6 anos. Viu a ginástica e disse para a mãe Jacqueline que gostaria de fazer o esporte - começou no Flamengo, no Rio de Janeiro, e está no CEGIN desde 2014. E diz que sonha estar num Mundial e numa Olimpíada um dia.
Observa que foi sua atuação no Brasileiro de Especialistas, em novembro de 2017 - competiu nas paralelas, trave e solo - que a classificou para os Jogos Sul-Americanos. "Acho que o Brasil tem condições de conseguir medalha por equipe e meu objetivo é brigar por medalha individual na trave e no solo." Vive em Curitiba numa casa compartilhada com outras ginastas - as mães se revezam para ficar com as meninas. 
Luiza Trautwein, de 15 anos, nasceu em Osasco (SP) e começou na ginástica na cidade vizinha de Barueri, inscrita pela avó Neuci. Mudou para o CEGIN, em 2015, com o grupo do técnico Roger Medina. É mais forte e gosta de se apresentar no solo - recentemente, voltou da Gymnasiade de Marrakech (MAR) com a medalha de ouro no aparelho. Em seu primeiro ano de adulto acha que competições como a de Jesolo, os campings da seleção e os Jogos Sul-Americano são oportunidades para ganhar experiência. 
O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná tem o apoio dos incentivadores Portonave, Fertipar, Elejor, Caminhos do Paraná e Blount, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, e da SMELJ,  Prefeitura de Curitiba. 

Thais Fidélis retorna às competições nos 
Jogos Sul-Americanos de Cochabamba

Curitiba - A ginasta Thais Fidélis dos Santos, de 16 anos, quarta colocada no solo do Mundial de Montreal/2017, volta às competições nos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba, na Bolívia (27 a 30/5/2018). Thais é uma das atletas do CEGIN que integram a seleção brasileira de ginástica artística feminina – Carolyne Pedro, Anna Julia Reis e Luiza Trautwein completam o grupo do Centro de Excelência da Ginástica do Paraná, com sede em Curitiba, que vai aos Jogos, junto com Flávia Saraiva e Jade Barbosa, pelo Brasil. A técnica chefe do CEGIN, Irina Ilyashenko, segue com a seleção brasileira para a competição.
Thais está entrando em forma, depois de ter ficado parada por algum tempo, mas mesmo assim o seu objetivo para os Jogos Sul-Americanos “é tentar medalha”. Também aposta nas chances do Brasil para ser campeão por equipe. “Eu penso nos pódios no solo e na trave.”
Para Irina Ilyashenko, o Brasil, pelos resultados, preparação e nome, deve ficar à frente das demais equipes nos Jogos Sul-Americanos. Mas sua preocupação central é ver Thais Fidélis competir bem. "É importante que a Thais comece a competir - a transição de menina para mulher, do ano passado para cá, tem sido difícil. Exige adaptação nossa e dela. Demos um passo para trás no grau de dificuldade com ela para que possamos avançar este ano novamente. O meu objetivo é que Thais comece a competir. Tem a Anna Julia, que entrou na seleção, a Carol (Carolyne Pedro), que está super bem preparada - vamos esperar que acerte e pegue final. Competindo bem, ainda mais com Jade e Flávia, vamos ter medalhas", ressalta.
Também "dos Santos", Thais se inspira em Daiane 
Thais nasceu em Ribeirão Preto (SP) em 23 de julho de 2001 – começou a treinar na Cava do Bosque, aos 5 anos, com a "Tia Nicéia". Mudou-se para Barueri foi em 2011, onde passou a trabalhar com o técnico Roger Medina. Chegou em Curitiba e no CEGIN em 2015. “Depois que eu passei a treinar em Curitiba com o Roger, a Irina junto, e com a estrutura dos aparelhos do CEGIN, o meu desempenho melhorou bastante.”
Não tem dúvida em apontar Daiane dos Santos como seu espelho na ginástica. Era pequena, uma menina de 8 anos, quando viu Daiane na TV. “Já estava na ginástica, mas a partir dali eu queria fazer igual a ela”. Assim como Daiane, Thais é "dos Santos", e tem um biótipo parecido – é muito forte. Desde 2008 nenhuma brasileira havia chegado ao 4º lugar de um torneio importante como o Mundial no solo. “Ela (Daiane dos Santos) me inspira até hoje”, afirma.
Thais tem regularidade – sempre no pódio – desde a categoria infantil. Mas foi sua performance no Mundial de Montreal, em 2017, que trouxe sonhos, com pódios importantes também na categoria adulta. “Eu ganhei experiência em Montreal, nunca tinha ido a um Mundial, e gostei muito. Me fez sonhar em chegar a um Mundial novamente e ficar entre as três melhores em qualquer aparelho. Acredito eu que, por aparelho, vai ser na trave ou no solo. E nas Olimpíadas também. Queria disputar os Jogos de Tóquio, em 2020.”
Thais está no segundo ano do ensino médio no Colégio Estadual Professora Maria Aguiar Teixeira. Dividia uma casa, perto do CEGIN, com outras ginastas, mas há cerca de dois meses vive com a mãe, Francisca, e o pai, José. Os irmãos mais velhos, Denis Rogério e Patrícia, ficam na torcida. “Todo mundo torce e está sempre do meu lado.”
A rotina de Thais em Curitiba é treino, escola e treino, e as horas vagas usa com passeios em parques e shoppings, na maioria das vezes tendo como companhia as outras ginastas do CEGIN. Gosta de passear no Jardim Botânico de Curitiba, um dos cartões postais da cidade, perto de sua casa. “A gente vai lá pra ficar sentada, leva baralho para jogar truco, leva bola... Lá não entra bicicleta, mas é bem bom.”
Seus aparelhos favoritos e nos quais é mais forte são trave e solo. Além do grau de dificuldade da série em si, pelo Código de Pontuação definido pela Federação Internacional de Ginástica (FIG) para o ciclo olímpico até os Jogos Olímpicos de Tóquio, a parte artística da apresentação ganhou importância e uma ginasta pode ter até 1.60 de descontos na nota.
O coreógrafo Rhony Ferreira, que também é o presidente do CEGIN, preparou a apresentação artística de solo que Thais Fidélis vai mostrar nos Jogos Sul-Americanos, ao som de Czardas, de Vittorio Monti, e Rapsodia Hungara nº 2, de Franz Liszt. “É preciso descobrir o estilo de cada ginasta porque agora a parte artística da apresentação vale muito. No caso da Thais eu fui testando e adotamos um clássico folclórico, que lembra a dança cigana da Hungria. Ele torna a mulher elegante e empoderada.”
O Centro de Excelência de Ginástica do Paraná tem o apoio dos incentivadores Portonave, Fertipar, Elejor, Caminhos do Paraná e Blount, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, do Ministério do Esporte, e da SMELJ, da Prefeitura de Curitiba. 
As meninas do CEGIN, com a técnica Irina Ilyashenko, estão na Bolívia, para a disputa dos Jogos Sul-Americanos de Cochabamba. A ginástica artística começa no dia 27. Força meninas! #fertipar #elejor#caminhosdoparaná #blount #leideincentivoaoesporte#ministeriodoesporte #smelj #cegin
Saindo para Cochabamba, Bolívia. Anna Julia, Luiza Trautwein, Thais Fidelis, Carolyne Pedro e Iryna Ilyashenko vão disputar os Jogos Sul-Americanos. Boa sorte meninas!!!!#ginastica#artistica #gymnastics #portonave #fertipar #elejor#caminhosdoparaná #blount#leideincentivoaoesporte #ministeriodoesporte#smelj #cegin

O CEGIN agora tem Instagram!!

Fizemos nosso primeiro post. Siga, curta e compartilhe. #portonave#fertipar #elejor #caminhosdoparaná #blount#leideincentivoaoesporte #ministeriodoesporte#SMELJ #CEGIN


GEGIN 2018 - Turmas Pré-Infantil e Infantil, com o treinadora Carol Molinari em dia de treino. 📷Osvaldo F./Contrapé. #portonave #fertipar #elejor#caminhosdoparana #blount #leideincentivoaoesporte#ministeriodoesporte #SMELJ #CEGIN #ginastica #artistica #gymnastics

Finalizada a competição Gymnasiade, em Marrocos,  com um ouro da Luiza Trautwein no solo!!!!

As atletas Carolyne Pedro, Luiza Domingues, Ana Luiza Pires Lima, Julia das Neves Soares e a técnica Iryna Ilyashenko participarão do Troféu Jesolo, na Itália dias 14 e 15 de abril, nesta competição participarão também os seguintes países: Romenia, Rússia, França, Grã Bretanha, Canadá, China, Estados Unidos e Itália.

E assim finalizamos a seletiva Gymnasiade 2018.
Rumo ao Marrocos!
Parabéns Beatriz Lima, Luiza Trautwein e Roger Medina, ginastas e técnico CEGIN pela convocação.

24/03/2018

Ano de estreia "perfeito" anima Thais Fidelis: "Espero estar melhor em 2018"

Quarta colocada no Mundial e campeã da temporada da Copa do Mundo, caloura de 16 anos vê saldo positivo em primeiro entre as adultas

Ano de estreia

10/10/2017 07h01 https://globoesporte.globo.com/ginastica-artistica/noticia/ano-de-estreia-perfeito-anima-thais-fidelis-espero-estar-melhor-em-2018.ghtml
Poucos atletas podem falar que está entre os melhores do mundo aos 16 anos. Thais Fidelis pode. A ginasta encerrou neste domingo sua primeira participação em um Mundial com a quarta colocação no solo de Montreal. O pódio não veio por pouco. Um resultado que animou a caloura e seu técnico, Roger Medina, para a continuação do ciclo olímpico rumo a Tóquio 2020. Apontada como promessa na base, Thais mostrou que já é a realidade da ginástica brasileira. - Estou feliz, muito satisfeita. É o primeiro de muitos Mundiais. Espero estar melhor no próximo, em 2018 - disse a ginasta. - A gente só tem a crescer. Este foi um ano perfeito. Representar o país sozinha em um Mundial foi muito difícil, mas foi um orgulho. Ela representa muita gente. Só temos a agradecer. Esse ano foi um saldo super positivo - completou Roger.Thaís Fidelis se apresenta bem e garante quarto lugar no Mundial de ginástica artísticaThaís Fidelis se apresenta bem e garante quarto lugar no Mundial de ginástica artística
Thais vem sendo trabalhada desde as categorias de base. Seu potencial chamou a atenção do Comitê Olímpico do Brasil (COB) que a selecionou para o programa "Vivência Olímpica" durante os Jogos do Rio. Em seu primeiro ano como adulta, Thais cresceu a cada competição. Foi campeã brasileira do individual geral, campeã da temporada da Copa do Mundo no solo e na trave e agora quarta colocada em um Mundial. - Foram muitos dias de preparo para o Mundial. A cada passo, a experiência aumenta. Conseguimos chegar ao final da competição satisfeitos. Sem lesão, ela está bem psicologicamente também. Isso que importa para darmos continuidade no trabalho - disse Roger.Thais Fidelis e Roger Medina no Mundial de Montreal (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)Thais Fidelis e Roger Medina no Mundial de Montreal (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)
Antes mesmo de Thais estrear na categoria adulta Roger colocou em seu planejamento fazer da pupila finalista no solo e na trave no Mundial. Uma queda na classificatória impediu a decisão da trave, mas por outro lado a caloura disputou também a decisão do individual geral, terminando na 24ª posição. Thais ainda deve disputar o Campeonato Brasileiro por aparelhos no final deste mês e a Swiss Cup, em novembro. Mas a ginasta já começa a fazer planos para 2018, quando deixa de ser caloura. Ela deve ser peça-chave da equipe do Brasil no Mundial de Doha, o primeiro evento pré-olímpico.

Aos 16, novata do Brasil controla nervos por lugar entre as grandes no Mundial

Nova cara da ginástica brasileira, Thais Fidelis conta com "técnico-psicólogo" para conter ansiedade e brigar pelo pódio em Montreal: "Estou no caminho certo"Aos 16, novata do Brasil controla nervos por lugar entre as grandes no MundialPor Carol Fontes e Marcos Guerra, Rio de Janeiro e Montreal, Canadá 02/10/2017 por: www.globoesporte.globo.com/ginastica-artistica/noticia/aos-16-novata-do-brasil-controla-nervos-por-lugar-entre-as-grandes-no-mundial.ghtml
Thais Fidelis se encanta com o show no treino de pódio do Mundial de Montreal. Ela passa bem pelos aparelhos A ansiedade é natural para uma garota de 16 anos, que em seu primeiro ano na categoria adulta já desponta como uma promessa da ginástica artística brasileira. Atual campeã nacional, a ginasta introvertida tenta controlar os nervos em seu primeiro grande teste para se firmar entre as grandes no Canadá, desta segunda-feira até domingo. Ela é candidata ao pódio na trave.
- Estar competindo no Mundial no meu primeiro ano como adulta mostra que eu estou no caminho certo e indo bem. Eu imagino que seja muita pressão mesmo e não posso deixar que isso me abale. Imagino o ginásio muito cheio, muita torcida e muito nervosismo também.

Nova cara da ginástica brasileira

Thais é uma joia que está sendo lapidada para a Olimpíada de Tóquio 2020, mas que já apresenta bons resultados. A caloura foi a ginasta brasileira que mais pódios conquistou nas etapas da Copa do Mundo de 2017. Foram três ouros e dois bronzes que lhe renderam o título da temporada no solo e na trave.Thais Fidelis está em seu primeiro Mundial aos 16 anos (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)Thais Fidelis está em seu primeiro Mundial aos 16 anos (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)
A campeã brasileira vem mostrando que, quando bem preparada, é fria na hora de competir. Thais conta que fica pensando na sua série, sem dar atenção ao público. Um trabalho mental feito pelo técnico Roger Medina. - Nós não temos psicólogo lá no Cegin (clube de Curitiba), então é o treinador que acaba fazendo esse trabalho. A gente tenta não gerar uma ansiedade muito grande. Ela é uma menina talentosa. Acertando e não passando essa ansiedade para a apresentação, ela vai trazendo bons resultados. Claro que gera um nervosismo por ser um Mundial, mas ela sabe lidar muito bem com isso. Não existe uma cobrança, não existe isso de que ela precisa ir para dar resultado. Ela já mostrou uma evolução - disse o "técnico-psicólogo".

Apesar de não cobrar grandes resultados da pupila, Roger deixa claro que está nos planos colocar Thais em até três finais em Montreal: no individual geral, no solo e na trave. A ginasta tem uma série de trave de alta dificuldade e treina a saída Patterson, uma das mais difíceis do código de pontuação. O movimento deve ser uma carta na manga para a final - a chinesa Liu Tingting, a americana Ragan Smith e as romenas Catalina Ponor e Larisa Iordache são as favoritas.
- Estou cada vez mais firme. É o meu primeiro Mundial, e estou com uma expectativa grande. Tem muitas meninas boas. Vai ser a competição mais importante deste ano, e eu espero que ir bem e pegar final.
Embora seja estreante em Mundiais, Thais tem a experiência de acompanhar de perto da Olimpíada. O talento da garota chamou a atenção do Comitê Olímpico do Brasil (COB), que a convidou no ano passado a participar do projeto Vivência Olímpica. Ela só não pôde estar em ação na Rio 2016 porque as regras da Federação Internacional de Ginástica (FIG) só permitem uma atleta competir entre as adultas a partir da temporada que completa 16 anos.
A menina tímida e dedicada, que deu seus primeiros passos na ginástica depois de ver Daiane dos Santos pela TV, aos poucos vai chegando ao patamar da campeã mundial do solo. Junto com a finalista olímpica Rebeca Andrade, Thais está no último grupo das classificatórias, na quarta-feira, às 20h (de Brasília).
Thais Fidelis acompanhou de perto a Rio 2016 no programa Vivência Olímpica (Foto: Reprodução/Facebook)Thais Fidelis acompanhou de perto a Rio 2016 no programa Vivência Olímpica (Foto: Reprodução/Facebook)
BRASIL ENCERRA TREINAMENTO DE PÓDIO PARA O MUNDIAL DE GINÁSTICA ARTÍSTICA
Thaís Fidelis, ginasta CEGIN, acerta os últimos detalhes nos aparelhos neste domingo (1/10/2017) em Montreal, no Canadá.
Da redação, Santo André (SP) – Depois do masculino no sábado (30), neste domingo (1º) foi a vez do feminino realizar o treinamento de pódio para o Mundial de Ginástica Artística, que será de amanhã (2) a domingo (8), em Montreal, no Canadá. No Estádio Olímpico de Montreal, Thaís Fidelis acertou os últimos detalhes nas séries antes da estreia na competição. Já Rebeca Andrade sentiu um incômodo no joelho direito e foi poupada pela comissão técnica.
Neste domingo, Thaís teve a oportunidade de identificar os pontos a serem melhorados nas apresentações com o auxílio da árbitra Yumi Sawasato.
“Gostei muito do treino, fiz melhor do que estava treinando e espero que na competição seja ainda melhor. Foi muito importante a presença da Yumi para nos ajudar, e todos da comissão também ajudaram bastante. Estou muito feliz com o nosso trabalho”, disse a ginasta.
Thaís e Rebeca estão inscritas para competir em todos os aparelhos (salto, assimétricas, trave e solo) e fazem parte da quinta subdivisão. As qualificatórias serão na quarta-feira (4), a partir das 20h (de Brasília), com atletas da Finlândia, Estados Unidos, Cuba, Ucrânia, Eslovênia, Japão, Coreia, Uzbequistão, Colômbia, China e Panamá.
O coordenador de ginástica artística da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Marcos Goto, elogiou a postura de Thaís no treino de pódio e valorizou o crescimento da ginasta. “A Thaís treinou muito bem, não teve queda, o que é importante, está confiante e passou bem pelo treino de pódio. Agora, temos mais dois dias para ajustar o que a arbitragem apontou que dá para melhorar. Hoje, foi até acima do esperado. Ela está bem segura, tranquila e mais experiente”, explicou.
A avaliação também foi positiva na opinião do técnico Roger Medina. “Foi muito bom o treino de pódio, e espero que o objetivo final seja tão bom quanto foi hoje. Ela conseguiu cumprir quase 90% do que planejamos e têm detalhes que são melhorados com o tempo, mas já vamos conseguir acertar para quarta-feira”, afirmou.
No masculino, os brasileiros fazem as qualificatórias a partir das 10h30 de terça-feira (3) - o treino de pódio ocorreu no último sábado. Arthur Zanetti competirá nas argolas, Arthur Nory estará no solo e na barra fixa, e Caio Souza disputará o individual geral, que ainda tem salto, cavalo com alças e paralelas.
O Brasil está na quarta subdivisão ao lado de Nova Zelândia, Holanda, Sri Lanka, Irlanda, Turquia, Itália, Chile, Áustria, Colômbia, Eslováquia, Coreia, Lituânia, Jordânia, Finlândia, Peru e República Tcheca.
A organização divulgou neste domingo alguns números da competição. Segundo eles, são esperados 40 mil visitantes de 41 países diferentes para o Mundial que será transmitido para 660 milhões de pessoas em 70 países. Todas as disputas serão no Estádio Olímpico de Montreal, que foi configurado para receber 10 mil espectadores por sessão. Até agora, 40 mil ingressos foram vendidos antecipadamente para os seis dias de disputas.
A organização do Mundial conta com 500 voluntários, que darão auxílio aos 400 atletas inscritos na competição. Além deles, outras 700 pessoas integram as delegações dos 71 países participantes
Fotos: Ricardo Bufolin
Thais Fidelis, ginasta Cegin, treinando para o Campeonato Mundial de Ginástica Artística no Canadá, onde representará o Brasil. 
Contamos com sua torcida!! 
A competição será de 02 a 08 de agosto em Montreal.
THAÍS FIDELIS, GINASTA CEGIN,
LIDERA DOIS RANKINGS DA TEMPORADA DE CHALLENGE CUPS DE GINÁSTICA ARTÍSTICA
Ginasta de apenas 16 anos ocupa a primeira colocação do solo e da trave..
A ginástica artística brasileira já conquistou importantes resultados e promete ainda muito mais para os próximos ciclos olímpicos. Um exemplo disso é a jovem Thais Fidelis, que com apenas 16 anos, ficou em primeiro lugar no ranking do solo e da trave na temporada 2017 de Challenge Cups. A jovem atleta do Cegin (PR) é a única entre todos os ginastas de vários países, do masculino ou feminino, a liderar mais de um aparelho.
A Federação Internacional de Ginástica (FIG) divulgou as listas baseadas nas cinco etapas da Copa do Mundo deste ano: Koper (Eslovênia), Osijek (Croácia), Varna (Bulgária), Szombathely (Hungria) e Paris (França). Os ginastas foram somando pontos de acordo com seus desempenhos, e os melhores três resultados em cada evento entraram na somatória. Cada primeiro lugar recebeu 30 pontos, seguido por 25 pontos para cada segundo lugar, 20 pontos para cada terceira posição e assim por diante.
Thaís somou 70 pontos no solo mesmo tendo participado de apenas três etapas. Ela ficou com o ouro em Osijek e em Varna e acabou na quarta posição em Koper. Já na trave, a ginasta natural de Ribeirão Preto (SP) terminou com 62 pontos ao ficar na primeira posição em Osijek, além do quarto lugar em Koper e da sexta posição em Varna.
"A Thaís vem há alguns anos mostrando resultados expressivos nacionais e internacionais nas categorias de base e isso foi um grande aprendizado para ela. Este ano, ela fez a estreia no adulto com muitas coisas novas nas séries, as quais precisam de tempo para ficarem consistentes e seguras. Mesmo assim, ela foi campeã brasileira adulta e vem nos surpreendendo com essas medalhas em Copa do Mundo", disse o técnico Roger Medina.
Ele conta que com os resultados obtidos até agora, as perspectivas para o futuro são bastante positivas. "É uma menina que promete chegar para ficar e fortalecer a equipe feminina para o Mundial de 2018 e, possivelmente, Jogos Olímpicos. Ela está comigo desde os nove anos e vê-la crescer assim é uma satisfação e orgulho. Estou muito satisfeito com o que ela vem apresentando", acrescentou o treinador.
Ainda entre os brasileiros, outro destaque é Arthur Zanetti. O duas vezes medalhista olímpico lidera o ranking das argolas com 60 pontos depois de conquistar o ouro nas duas etapas que disputou (Koper e Osijek). E Rebeca Andrade ocupa o segundo lugar no salto, com dois ouros (Koper e Varna) e 60 pontos, e também o quarto lugar das assimétricas, com 43 pontos (ouro em Varna, 11ª em Koper e décima em Osijek).
Os três ginastas agora estão em Montreal, no Canadá, fazendo aclimatação para o Mundial, que ocorre de 2 a 8 de outubro de 2017,
Foto; Ricardo Bufolin

Thais Fidelis, ginasta Cegin, representando o Brasil no Mundial de Ginástica Artística.

A Seleção Brasileira que irá representar o País no Mundial de Ginástica Artística de Montreal, no Canadá, foi divulgada pela Confederação Brasileira de Ginástica (CBG). A competição, que este ano só terá a disputa por aparelhos e all around, contará com Arthur Zanetti, Arthur Nory Mariano, Caio Souza e Francisco Barretto Júnior no masculino, e Rebeca Andrade e Thais Fidelis no feminino. 
A equipe masculina será acompanhada pelos treinadores Ricardo Yokoyama e Cristiano Albino, a feminina por Francisco Porath e Roger Medina.
Este será o primeiro Mundial da modalidade no novo ciclo olímpico. Isso significa que os atletas terão que competir com series de acordo com o novo código de pontuação estabelecido pela Federação Internacional de Ginástica (FIG).
O processo de definição dos atletas convocados passou por várias etapas. Durante todo o ano, eles foram observados em outras competições e fizeram treinos controle, o último, inclusive, foi na semana passada, no Centro de Treinamento Time Brasil, no Rio de Janeiro.
O coordenador de ginástica artística da CBG, Marcos Goto, ressaltou a qualidade dos atletas convocados. “Esses são os ginastas que hoje têm mais possibilidade de chegar a uma final no Mundial. Foi entendido por todos os resultados ao longo do processo que esses ginastas podem buscar o maior número de finais e com possibilidade de medalhas para o Brasil.” Ele lembrou também que além dos controles técnicos, os ginastas passaram por avaliações físicas e médicas, sendo esse um dos critérios estabelecidos pela comissão técnica desde o início do processo.
O Mundial do Canadá será realizado de 2 a 8 de outubro, em Montreal. (19/09/2017)
GINASTAS CEGIN, FABIANE BRITO E ANA LUIZA LIMA, NO SUL-AMERICANO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA INFANTIL E JUVENIL
NOVA GERAÇÃO DA GINÁSTICA ARTÍSTICA BUSCA MEDALHAS NO SUL-AMERICANO
Dezesseis atletas do Infantil e Juvenil representam o País na competição realizada na Argentina.
Da redação, Santo André (SP) - Uma jovem geração de ginastas brasileiros embarcou neste domingo (17) para Mar del Plata, na Argentina, onde compete, a partir de quinta-feira (21), no Sul-Americano de Ginástica Artística Infantil e Juvenil.
O País será representado por oito atletas na categoria Infantil (AC3) e oito na Juvenil (Júnior), que foram selecionados em seletivas. O grupo ficou concentrado por um período no mês passado no Centro de Treinamento Time Brasil, no Rio de Janeiro (RJ), para treinamentos visando a competição.
No Infantil feminino, estarão Ana Luíza Lima, Ellen Nascimento Ferreira, Júlia Moraes Godói e Maria Eduarda Tavares. Pelo Juvenil, as representantes são Christal Silva e Bezerra, Fabiane Brito, Isabel de Almeida Barbosa e Maria Júlia Ferreira Marques. Elas estarão acompanhadas pelos técnicos Danilo Bornea e Iryna Ilyashenko.
No Infantil Masculino, o Brasil contará com Arthur Ribeiro Rua, Arthur Tadeu Cardoso, Erick Trautwein Domingues e Ian Camargo Iwazaki. Já pelo Juvenil estarão André Lucas de Moraes, André de Freitas Costa, Rankiel Santos Neves e Vitor Ganancio Ribeiro. Os técnicos são Hugo Lopes e Lourenço Ritli Filho. O País ainda terá dois árbitros na competição: Adriana Alves (feminino) e Rodrigo Caron (masculino).
Técnico e chefe de delegação, Hugo Lopes afirma que será possível saber melhor o nível dos outros países após o início dos treinamentos na Argentina para depois avaliar as maiores possibilidades do Brasil no campeonato. "Acredito que teremos um bom desempenho, porém, ainda não fizemos nenhum treino no ginásio de competição na Argentina, para termos uma ideia de como está o nível dos nossos concorrentes", disse.
O campeonato contará com a participação de atletas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.
BRASIL TERMINA COPA DO MUNDO DE VARNA DE GINÁSTICA ARTÍSTICA COM OITO MEDALHAS
Foram cinco ouros e três bronzes nos dois dias de finais na Bulgária.
Da redação, Santo André (SP) - O Brasil teve uma grande participação na Copa do Mundo de Varna, na Bulgária, de Ginástica Artística e encerrou a competição com oito medalhas conquistadas. Em quatro finais do feminino, as ginastas garantiram todos os ouros, além de um bronze. No masculino, foram um ouro e dois bronzes em quatro provas disputadas. 
Neste domingo (3), Daniele Hypólito garantiu o ouro na trave com a nota 13,750, enquanto Thaís Fidelis ficou em sexto (11,700) na mesma prova. Na sequência, foi a vez de Thaís ficar em primeiro lugar no solo (13,500), e Daniele terminou em quarto (12,600). 
No masculino, Caio Souza primeiro garantiu a medalha de bronze nas paralelas, com 14,450. Depois, ele voltou a competir na barra fixa e ficou com o ouro com 14,200. Já Arthur Nory ficou em quarto no salto (14,225).
No sábado (2), a Seleção já havia garantido dois ouros com Rebeca Andrade, no salto e nas assimétricas, um bronze com Thaís Fidelis, nas assimétricas, e outro bronze com Arthur Nory, no solo.
"Os resultados mostram que, com notas de partidas altas, somos muito competitivos. Necessitamos melhorar nossa execução e assim alcançar resultados ainda melhores, pois no Campeonato Mundial vamos competir com o que cada país tem de melhor. Verifico que alguns deles estão alcançando notas para uma possível classificação para as finais no Campeonato Mundial. Estamos muito felizes com os resultados dos nossos ginastas, e isso mostra que estamos no caminho certo. Todo o trabalho está sendo possível graças à Caixa e à parceria da CBG e do COB", disse Marcos Goto, Coordenador Técnico da Ginástica Artística da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG).
Após o fim da etapa da Copa do Mundo, os ginastas seguem se preparando para o Mundial do Canadá, que será realizado em outubro.
Medalhas do Brasil em Varna
GAF - salto: Rebeca Andrade (ouro)
GAF - assimétricas: Rebeca Andrade (ouro) e Thaís Fidelis (bronze)
GAF - trave: Daniele Hypólito (ouro)
GAF - solo: Thaís Fidelis (ouro)
GAM - barra fixa: Caio Souza (ouro)
GAM - solo: Arthur Nory (bronze)
GAM - paralelas: Caio Souza (bronze)

BRASIL GARANTE VAGA EM TODAS AS FINAIS DA COPA DO MUNDO DE VARNA DE GINÁSTICA ARTÍSTICA

Competição por aparelhos terá decisões neste sábado (2/9) e domingo (3/9)..Da redação, Santo André (SP) - O primeiro dia de competição da Copa do Mundo de Varna de Ginástica Artística foi extremamente positivo para os brasileiros. Nas classificatórias da Bulgária, eles garantiram vaga para as finais em todos os aparelhos. As decisões serão divididas em dois dias. O sábado (2) fica reservado para o solo, cavalo com alças e argolas no masculino, e salto e assimétricas no feminino. Já no domingo (3), as competições serão no salto, paralelas e barra fixa no masculino, e trave e solo feminino.
Na trave, Thaís Fidelis foi a primeira colocada, com 14,000, e Daniele Hypolito a segunda, com 13,500. No salto, Rebeca Andrade garantiu vaga na final, com a primeira colocação, somando 14,725 (15,150/14,300). Daniele foi a quarta colocada na classificatória do aparelho, com 13,550 (14,100/13,000). Nas assimétricas, Rebeca ficou em primeiro, com 14,450, e Thaís em segundo, com 12,600. No solo, Thaís foi a primeira colocada, com 13,900, e Daniele a segunda, com 13,300.
No masculino, Arthur Nory foi o segundo colocado no solo (14,300). No cavalo com alças, Francisco Barretto terminou a qualificatória na quarta colocação (14,000). Nas argolas, Caio Souza ficou em sexto, com 13,800, no salto Arthur Nory em segundo com 14,350 (14,700/14,350) e, nas paralelas, mais dois brasileiros classificados: Caio Souza em segundo (14,750) e Francisco Barretto em quarto (14,450). Caio também conquistou vaga na final de barra fixa, com a terceira posição (14,000).
Para o técnico e chefe de delegação Ricardo Yokoyama, foi um resultado muito positivo e a expectativa para as finais são excelentes. "Os atletas brasileiros representaram muito bem as cores da nossa bandeira. Em todos os aparelhos temos pelo menos um finalista. Amanhã começam as finais e as expectativas são grandes com relação à conquista de medalhas. Sabemos que nas finais tudo pode acontecer, mas os brasileiros demonstraram que vieram muito forte."
Programação - Copa do Mundo da Bulgária (horários de Brasília):
Sábado (2)
07h às 07h35 - finais: GAM - solo
07h49 às 08h26 - finais: GAF - salto
08h40 às 09h15 - finais: GAM - cavalo
09h29 às 10h07 - finais: GAF - assimétricas
10h21 às 10h56 - finais: GAM - argolas
Domingo (3)
07h às 07h35 - finais: GAM - salto
07h49 às 08h26 - finais: GAF - trave
08h40 às 09h15 - finais: GAM - paralelas
09h29 às 10h07 - finais: GAF - solo
10h21 às 10h56 - finais: GAM - barra fixa
BRASIL DISPUTA COPA DO MUNDO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA NA BULGÁRIA A PARTIR DESTA SEXTA-FEIRA (1/9/2017)
Classificatórias são na sexta, e finais ocorrem durante o fim de semana.
Da Redação, em Santo André (SP) - O Brasil disputará a etapa de Varna, na Bulgária, da Copa do Mundo de ginástica artística a partir desta sexta-feira (1º). As Seleções Brasileiras Masculina e Feminina irão competir no Palácio de Cultura e Esportes com as classificatórias na sexta e as finais no sábado (2) e no domingo (3).
A equipe feminina para a competição é formada por Rebeca Andrade (assimétricas e salto), Daniele Hypólito (salto, trave e solo) e Thais Fidelis (assimétricas, trave e solo). No masculino, vão defender o País Arthur Nory (solo, salto e barra fixa), Caio Souza (argolas, paralelas e barra fixa), Francisco Barretto (cavalo e paralelas) e Lucas Bittencourt (solo, cavalo e argolas).
O técnico Ricardo Yokoyama, que também é o chefe da delegação brasileira em Varna, falou sobre a expectativa para a competição. "Teremos a participação de atletas de ponta, portanto, sabemos que será uma competição forte, mas esperamos que os brasileiros consigam um bom número de finais", afirmou. 
Caio Souza, que compete nas argolas, paralelas e barra fixa, acredita conseguir bons resultados para o País. "Estou bem tranquilo para essa competição. Quero fazer o meu melhor e sair satisfeito. Vou fazer três aparelhos e quero ir bem nesses três, poder competir bem e mostrar o trabalho que tenho feito." 
A Copa do Mundo da Bulgária terá a participação de cerca 118 ginastas de 23 países: Brasil, Áustria, Azerbaijão, Bélgica, Belarus, Bulgária, Canadá, Chile, Colômbia, Croácia, Egito, Finlândia, França, Grã-Bretanha, Grécia, Hungria, Israel, Holanda, Noruega, Eslovênia, Sérvia, Tunísia e Ucrânia.
Esta etapa faz parte da preparação para o Mundial de Montreal, no Canadá, que será realizado em outubro.
Programação - Copa do Mundo da Bulgária (horários de Brasília):
Sexta-feira (1º)
04h às 06h30 - classificatórias: GAM - solo, cavalo e argolas / GAF - salto e trave
09h às 11h00 - classificatórias: GAM - salto, paralelas e barra fixa / GAF - assimétricas e solo
Sábado (2)
07h às 07h35 - finais: GAM - solo
07h49 às 08h26 - finais: GAF - salto
08h40 às 09h15 - finais: GAM - cavalo
09h29 às 10h07 - finais: GAF - assimétricas
10h21 às 10h56 - finais: GAM - argolas
Domingo (3)
07h às 07h35 - finais: GAM - salto
07h49 às 08h26 - finais: GAF - trave
08h40 às 09h15 - finais: GAM - paralelas
09h29 às 10h07 - finais: GAF - solo
10h21 às 10h56 - finais: GAM - barra fixa
BRASIL FECHA PAN-AMERICANO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA DE ESPECIALISTAS COM CINCO MEDALHAS
No segundo dia das finais, neste sábado (12/08/2017), País subiu ao pódio três vezes.
O Brasil fechou o Pan-Americano de Ginástica Artística de Especialistas, realizado em Lima, no Peru, com cinco medalhas. Esta foi uma das primeiras competições internacionais do novo ciclo olímpico e o País contou com a presença de quatro ginastas: Arthur Zanetti, Caio Souza e Jared Azzarini no masculino, e Carolyne Pedro no feminino.
No segundo dia das finais, Caio Souza subiu ao lugar mais alto do pódio nas paralelas, ao somar 14,500. O argentino Osvaldo Martínez foi o segundo colocado (13,767) e o dominicano Audrys Nin Reyes o terceiro (13,433). Na barra fixa, Caio garantiu o bronze, com 13,767. Audrys Nin Reyes fez 13,933 e ficou com o ouro. Kevin Cerda, do México, foi medalha de prata (13,800).
Mesmo sem subir ao pódio, Jared Azzarini também obteve boas colocações. Ele participou de três finais e foi quarto colocado nas paralelas (13,000), quarto na barra fixa (13,233) e sexto no salto (13,633/13,657).
Já pelo feminino, Carolyne Pedro conquistou o bronze na trave, com 12,633. A medalha de ouro foi para a canadense Sophie Marois, com 13,167, e Agustina Pisos, da Argentina, ficou com a prata, com 12,700. A ginasta ainda ficou na quinta colocação no solo (11,733)
No primeiro dia das finais, Caio Souza já havia conquistado duas medalhas de prata, no cavalo com alças e argolas.

BRASILEIRO CAIXA DE GINÁSTICA ARTÍSTICA AGITA O PÚBLICO E DEFINE CAMPEÕES EM SÃO PAULO (SP) 07/08/2017

Competição terminou neste domingo (6) com definição dos títulos por equipe e all around (generalista).

São Paulo (SP) - O Campeonato Brasileiro Caixa de Ginástica Artística chegou ao fim com muita emoção. Com alguns dos principais ginastas do País em ação e muita torcida nas arquibancadas do ginásio do E.C Pinheiros, os atletas da categoria adulta encerraram neste domingo (6), a disputa pelos títulos masculino e feminino por equipes e all around (generalista).
No feminino, o Cegin foi o grande vencedor. Além de conquistar o título por equipes ao somar 159,650 pontos, à frente do E.C Pinheiros (151,050 pontos) e C.R. Flamengo (149,450 pontos), o clube também venceu a competição individual com Thaís Fidelis, somando 54,400 pontos. Fabiane Valentim (Cegin), com 54,050, e Daniele Hypolito (ADC São Bernardo), com 53,150, fecharam o pódio do all around (generalista).
Thaís Fidelis competiu pelo primeiro ano na categoria adulta e já conquistou o principal título nacional da modalidade - no ano passado, ela havia vencido na categoria de 13 a 15 anos. “Esse campeonato foi o primeiro que eu competi no adulto e foi muito importante. Gostei muito dos meus resultados. Representou muito para o meu trabalho, dos meus treinadores e do Cegin, que nos ajuda muito”, disse a ginasta, que projeta novas conquistas daqui para frente. “Acho que competi bem. Ontem tive um erro, mas hoje consegui consertar. Espero que eu consiga melhorar mais pensando no Mundial”, acrescentou a atleta.
Treinadora do Cegin, a ucraniana Irina Ilyaschenko, ressaltou o sistema de trabalho da equipe pelos resultados obtidos no Brasileiro. Além das conquistas no Adulto, a clube também venceu no sábado (5) pela categoria Infantil. “Conquistamos o que merecemos, trabalhamos bastante para isso. Elas competiram bem. No primeiro dia cometemos alguns erros, mas estamos muito felizes com a nossa conquista. Temos o nosso método de trabalho e sistema preparatório, que vem dando certo”, pontuou Ilyaschenko.
Seletivas:    Ao término da competição, também foram anunciados os atletas que integrarão a Seleção Brasileira no Sul-Americano da categoria Juvenil, em Mar del Plata, Argentina, no mês de setembro. Pelo masculino, Arthur de Freitas Costa (Sesi-SP), Tomas Rodrigues Florêncio (Sogipa), André Lucas Florindo de Moraes (E.C Pinheiros), Vitor Ganancio Ribeiro (SERC Santa Maria) e Rankiel Santos Neves (MTC). No feminino, o grupo será composto pelas seguintes ginastas: Fabiane Brito (Cegin), Isabel Barbosa (E.C Pinheiros), Cristal Bezerra (Adeco), Maria Julia (C.R. Flamengo) e Milene Cruz (Cegin).
Nas próximas semanas também serão divulgados atletas que competirão no Mundial da modalidade em Montreal, no Canadá, em outubro. Eles passaram por seletiva durante o Brasileiro e o resultado será divulgado posteriormente. 
O coordenador técnico da Ginástica Artística da CBG fez uma avaliação geral do evento e destacou a importância das seletivas para o Mundial durante os campeonatos para elevar cada vez mais o nível da Seleção Brasileira. “Com esse novo formato do evento, que recebeu também as seletivas para os campeonatos internacionais, aumentou a competitividade. Os ginastas sentiram que a pressão é um pouco maior. Para ir ao Mundial, teriam que fazer uma média nos dois dias. Com isso, vamos conseguir prepara-los melhor para as competições internacionais. Esse é o objetivo hoje da Seleção."
"Vamos ter mais uma avaliação ainda para se compor a Seleção. Tenho ainda mais uma semana para avaliar os resultados e divulgar os atletas que irão formar a equipe para este ano. Teremos ainda mais uma avaliação do grupo para o Mundial. Os parâmetros para a Seleção serão anuais. Esse ano o alvo é o Mundial", explicou lembrando que são duas vagas para generalistas e quatro para especialistas em cada aparelho. 
A competição marcou os cinco anos que o Brasil conquistou a primeira medalha olímpica, com Arthur Zanetti nas argolas, em Londres-2012. Um motivo de comemoração e de mais responsabilidade para a modalidade. "Muita coisa mudou de lá para cá. O cenário político no Brasil não está bom, mas a ginastica brasileira está caminhando, com mais investimento da Caixa, um bom trabalho da Confederação e do COB que nos apoia muito", concluiu Goto. 
Confira os resultados finais pelo link: http://bit.ly/2wkoc5q
CAMPEONATO BRASILEIRO CAIXA DE GINÁSTICA ARTÍSTICA PREMIA VENCEDORES DA CATEGORIA INFANTIL 06/08/2017
Disputas foram nos dias 4 e 5 de agosto no E.C. Pinheiros, em São Paulo..

São Paulo (SP) - Após dois dias de competição, os ginastas da categoria Infantil encerraram neste sábado (5) as apresentações no Campeonato Brasileiro Caixa de Ginástica Artística. A disputa premiou os vencedores por equipes, individual geral e por aparelhos. Para aumentar ainda mais a importância do evento, o campeonato serviu também como seletiva para o Sul-Americano Pré-Infantil, Infantil e Juvenil em Mar del Plata, na Argentina.
No feminino, com competidoras de 10 a 12 anos, Cegin conquistou o título por equipes. Josiany da Silva (Cegin) foi a vencedora geral na categoria 10 anos, e Ana Luiza Lima (Cegin) na categoria 11 e 12 anos.
As campeãs por aparelho feminino foram: Gabriela Alves (E.C Pinheiros) - salto 10 anos, Ana Luiza Lima (Cegin) - salto 11 e 12 anos , Gabriela Alves (E.C Pinheiros) - paralelas 10 anos, Ana Luiza Lima (Cegin) - paralelas 11 e 12 anos, Josiany da Silva (Cegin) - trave 10 anos, Luisa Gomes Maia (ADC São Bernardo) - trave 11 e 12 anos,  Flávia Paesano (Cegin) - solo 10 anos, Ana Luiza Lima (Cegin) - solo 11 e 12 anos.
Roger Medina, treinador do Infantil do Cegin, elogiou o desempenho de suas atletas. “As meninas competiram bem e fizeram um bom trabalho. Atingimos o objetivo do ano, fomos campeões por equipes, tivemos as campeãs nas duas categorias. Dá para comemorar bastante”, destacou.
Durante a cerimônia de premiação, foram anunciados os jovens atletas que alcançaram vaga na seletiva para o Sul-Americano na Argentina.  Arthur Rua (Serc), Arthur Cardoso (Serc), Ian Camargo (E.C Pinheiros) e Erick Domingues (E.C Pinheiros) foram selecionados e vão disputar a competição. No feminino, as escolhidas foram: Maria Eduarda Tavares (Grêmio Náutiuco União), Ellen Nascimento Ferreira (Adeco), Júlia Moraes Godoi (ADC São Bernardo), Ana Luiza Lima (Cegin).
Neste domingo (6), haverá definição dos vencedores na categoria adulta. Os ginastas disputam o título do all around (generalista) e por equipes. Além disso, a competição nacional serve como seletiva para compor a lista de atletas que irá para o Mundial da modalidade em Montreal, no Canadá, em outubro.
Veja os resultados no link: http://bit.ly/2wwiuwS

Primeiro dia de treinamento no Esporte Clube Pinheiros para o  Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística.

Embarcaram nesta terça-feira (01/08), para São Paulo, nossas ginastas e toda a equipe CEGIN-PR para participar do Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística Adulto e Infantil, no Esporte Clube Pinheiros.                                  Vamos torcer muito por nossas meninas!
Aconteceu no fim de semana de 30 de junho a 02 de julho de 2017, no Cegin o
I Curso Básico de Ginástica Artística Feminina. 
Participaram 60 acadêmicos, Professores e Técnicos dos estados do PR, SP, MG, RS, GO, RJ, e PE.
Tivemos a participação da ex-ginasta Daiane dos Santos que atualmente desenvolve um projeto social em Paraisópolis/SP.
CBG DIVULGA GINASTAS QUE CONQUISTARAM VAGA PARA PAN DE ESPECIALISTAS DE GINÁSTICA ARTÍSTICA
Além dos atletas adultos, os juvenis competiram para compor Seleção transitória que irá aos Jogos Sul-Americanos da Juventude ..26/06/2017
São Bernardo do Campo (SP) - Os atletas que conquistaram vaga para representar o Brasil no Pan-Americano de Ginástica Artística de Especialistas, em agosto, no Peru, e nos Jogos Sul-Americanos da Juventude, em outubro, no Chile, foram divulgamos, neste sábado (24). Durante a seletiva em forma de competição realizada durante dois dias no Centro Nacional de Treinamento, em São Bernardo do Campo (SP), os atletas apresentaram séries completas, de acordo com o novo código de pontuação. A soma dos dois dias determinou os classificados.
Para o Pan-Americano, eram seis vagas para a ginástica artística masculina e quatro para a feminina, sendo que o Brasil poderá inscrever dois ginastas em cada aparelho. Após as avaliações, os atletas que atingiram os índices estabelecidos são: Carolyne Pedro (Cegin-PR) e Flávia Saraiva (Flamengo-RJ) no feminino, com o técnico Francisco Porat; e Péricles Silva (Pinheiros-SP), Jared Azarini (São Bernardo-SP), Caio Souza (São Bernardo-SP) e Arthur Zanetti (SERC/São Caetano-SP), no masculino, com o técnico é Ricardo Yokoyama.
Segundo o coordenador das Seleções de Ginástica Artística da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Marcos Goto, vários fatores puderam ser avaliados por conta do formato da seletiva. "Em uma competição aberta, se testa a parte psicológica do atleta. Em um ginásio aberto, com público, com pressão. Ele tem que fazer a série com outros ginastas, não está à portas fechadas. É um diferencial para o ginasta fazer uma avaliação em real competição."
Essa foi a primeira vez que a definição da Seleção que irá a um campeonato foi feita dessa maneira, e o objetivo foi ser o mais justo e transparente possível. "Acho que foi o critério mais claro. Era a média dos dois dias. Era como se o atleta estivesse em um campeonato, então, ele se classifica em um dia e vai para a final no outro dia. É como competir por uma medalha", explicou. "O objetivo era que os atletas conseguissem atingir os critérios e as notas de corte que nós pedimos. No masculino conseguimos preencher quatro das seis vagas que tínhamos e no feminino de quatro vagas, duas atletas atingiram os critérios. Acho que o balanço é muito bom. Serve também para que todos vejam que há mudanças e elas são para que tudo seja o mais claro e objetivo possível. Todo mundo viu quem acertou, quem errou", acrescentou Goto.
Além dos atletas da categoria adulta, os jovens talentos da juvenil também competiram por vagas na equipe que vai aos Jogos Sul-Americanos da Juvenil, seguindo critérios. Os classificados foram: Laura Rocha (São Bernardo-SP), Luiza Silva (SERC/São Caetano-SP), Beatriz Silva (SERC/São Caetano-SP), Júlia Lopes (São Bernardo-SP) e Bianca Tavares (Fluminense-RJ), no feminino; e Diogo Soares (Piracicaba-SP), Lucas Souza (Minas Tênis Clube-MG), Murilo Pontedura (SERC/São Caetano-SP), Patrick Barone (Adeco-SP) e Matheus Silva (Minas Tênis Clube-MG).
"Conseguimos montar a melhor equipe masculina e feminina. O critério era definir quatro para o individual geral e mais um que contribuísse para a equipe. São garotos novos que estão passando do juvenil para o adulto daqui a um ou dois anos. É uma competição importante para eles, pois vale vaga para os Jogos Olímpicos da Juventude em 2018", apontou o coordenador.
Marcos Goto ressalta a forma com que o início deste novo ciclo olímpico vem sendo conduzido para preparar os ginastas para os próximos Jogos Olímpicos e para as competições que estão pelo caminho. "Aqui foram avaliados os critérios técnicos. Depois tem outros, como médicos, por exemplo. Nós fizemos um mapeamento no Rio com 20 atletas do masculino e 20 do feminino, já para ver como cada um está, o que tem que melhorar, se está com alguma lesão. É uma iniciativa feita pela primeira vez no Brasil. Nesse mapeamento haviam vários profissionais envolvidos, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionistas, médicos, biomecânicos, fisiologistas etc. Foi uma bateria de testes muito interessante para que tivéssemos alguns dados que ainda não tínhamos. A intenção é de estender isso após a formação da nova Seleção", encerrou.

Foi assim que Thais Fidelis trouxe o ouro para o Brasil!

GINÁSTICA ARTÍSTICA | Copa da Croácia

Pódio para o Brasil!

Thaís Fidelis conquistou o ouro no solo (13,733) e Flávia Saraiva a prata (13,633). 

Excelente resultado!

BRASIL FECHA COPA DO MUNDO DE GINÁSTICA ARTÍSTICA DA ESLOVÊNIA COM BRONZE NA TRAVE

Thaís Fidelis subiu ao pódio e deu a quarta medalha para o País na competição .

Da Redação, Santo André (SP) - As seleções brasileiras de ginástica artística masculina e feminina já haviam dado um show no primeiro dia da Copa do Mundo de Koper, na Eslovênia, com três medalhas e, neste domingo (14), fecharam a competição com mais uma: o bronze de Thaís Fidelis na trave, em seu primeiro campeonato internacional de grande porte. 
Um resultado e tanto para os atletas do país, que estão testando novos elementos nas séries para aumentarem as notas de partida e se adequarem ao novo código de pontuação do ciclo olímpico 2017/2020, de olho na Olimpíada de Tóquio, no Japão. Os juízes foram criteriosos, com avaliações rígidas.
O primeiro aparelho com participação do Brasil na Arena Bonifika foi a trave. Flávia Saraiva - quinta melhor no aparelho nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro/2016 - abriu as apresentações. A ginasta do Flamengo sofreu uma queda e recebeu nota 12.800, terminando em quarto. Penúltima a mostrar sua série, Thaís Fidelis (Cegin) também teve uma queda, mas conquistou o bronze com 12.850.
Lucas Bitencourt - prata por equipes nos Jogos Pan-Americanos de Toronto/2015 - foi o representante do País nas barras paralelas. O atleta do SERC/São Caetano, assim como as meninas na trave, sofreu uma queda e ficou na oitava colocação, com 11.800.
O Brasil fechou sua participação na Copa do Mundo de Koper no solo, com duas finalistas. Thaís Fidelis começou sua série com alto grau de dificuldade, mas caiu na aterrisagem da primeira acrobacia, ficando em quarto com 12.550. Flávia Saraiva encerrou as apresentações no aparelho. A ginasta torceu o pé direito também ao completar sua primeira passagem e não conseguir concluir a prova - foi a oitava, com 3.250.
"Estamos em um início de ciclo olímpico, e as Copas do Mundo são muito importante, neste momento, por darem início à nossa preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Essa primeira, na Eslovênia, foi muito satisfatória. Atingimos os objetivos traçados e tivemos a felicidade de conquistar quatro medalhas, subindo ao pódio no masculino e no feminino", destacou Luciene Resende, presidente da Confederação Brasileira de Ginástica.
A comissão técnica do Brasil em Koper foi formada por Roger Medina, no feminino, e Cristiano Albino e Marcos Goto, no masculino. Depois de disputar a competição na Eslovênia, a delegação embarca para a Croácia, onde vai competir na Copa do Mundo de Osijek. A viagem de um país europeu para o outro será nesta segunda-feira (15), e as provas em solo croata começam no dia 18 e terminam em 21 de maio.
Resultados:
Trave
1º Larissa Iordache (ROM) - 14.150
2º Elsabeth Black (CAN) - 13.100
3º Thais Fidelis - 12.850
4º Flávia Saraiva - 12.800

CENTRO DE EXCELÊNCIA DE GINÁSTICA - CEGIN -PR 

Rua Professora Antonia Reginato Vianna, 921

Capão da Imbuia - Curitiba - PR - Brasil

+55 41 3029-2210 - ceginpr@gmail.com

Direitos autorais Centro de Excelência de Ginástica - CEGIN PR